Home » POESIA » GENTE, TERRA E LIBERDADE – VALDORION KLEIN

GENTE, TERRA E LIBERDADE – VALDORION KLEIN

Ali! No Sul Catarinense,
No povoado de Laguna,
Ninguém tinha fortuna,
Era parada de tropeiro.
Entre eles – Bento Ribeiro,
Vindo de Lages pra Morrinhos.
O mais curto dos caminhos,
Tropeando gado campeiro.

No Brasil instalou-se o Império,
Com uma Regência em crise.
E contra atos de barbarize,
Explodiu muita revolta.
O Império ficou sem escolta,
Quando no Sul peões e liberais,
Unidos contra os Imperiais,
Numa República quase sem volta.

Lá! No outro lado do mundo,
Os fatos eram quase iguais,
Sob o manto da Igreja, Reis e Generais,
“Escoria pestilenta da humanidade”,
Abusavam da outorgada autoridade,
Condenando sempre a morte,
Quem lutando, não temia a sorte,
De falar e querer Liberdade.

Os Farroupilhas chegaram a Laguna,
Por terra Nunes e os Negros Lanceiros,
Pelo mar Garibaldi e seus Marinheiros,
Vitória de Garibaldi, Nunes e Canabarro,
Pros Imperiais a derrota saiu caro,
Farroupilhas Organizavam o Governo.
– Garibaldi vigiando terra e oceano,
Viu uma moça numa casa do bairro.

– “Era Anita! – Tu tens que ser minha!”.
Tinha encontrado um tesouro proibido.
Mas, nem de guerras tinha desistido.
Dias depois – Anita mudou-se a bordo,
No lanchão, batizado de Rio Pardo,
Não foi cruzeiro, mas atribulada viagem,
Demonstrou toda a coragem,
Carabina em punho, junto de seu amado.

O povo recebeu os Farrapos em festa,
Os sinos da Igreja repicando,
Com frenéticos aplausos e cantando,
Palavras que soavam Liberdade,
Por toda a nascente cidade,
Canabarro declara solenemente!
A Nação Catarinense! Está livre e Independente!
Viva a Liberdade! A Igualdade! A Humanidade!

– Anita não pelejava sem motivo.
Em Lages, Imperiais tinham incendiado,
A casa dum tio e quase foi assassinado,
Por simpatizar com Republicanos,
Atrocidades também em Curitibanos,
Anita deixou de ser “Aninha do Bentão”.
Quando da tolda, desceu ao portão,
Buscar três “poltrões” falsos republicanos.

Três Meses da República Juliana,
Farroupilhas, na seguinte situação,
Falta especialistas, soldados e munição,
Pra Canabarro artimanha de comando.
Rosseti ia administrando,
Laguna vira Cidade, criou Bandeira Juliana,
Lages incorporada aboliu a impostana,
Formando a estrutura de Estado.

Farroupilhas tratados como libertadores,
Nem todos souberam honrar,
Alguns soldados passaram a roubar,
O encontrado no combate em Imaruí.
Como que dava um changui,
A insatisfação em Laguna aumentava,
Canabarro prendeu setenta e se complicava.
Até com o Comando do Piratini.

O Império reforçava suas defesas,
Poucos Catarinenses com os Republicanos,
Só Trinta Lagunenses e sete Lageanos.
O restante debandou, temendo o combate,
– Garibaldi se preparou pro embate,
A esquadra Imperial forçava a barra,
– Garibaldi avisou, Canabarro ignorara,
Findou a República Livre e Independente.

– O comando Republicano,
E muitos Farroupilhas conseguiram escapar,
No caminho do Rio Grande, sempre a pelejar.
Em Curitibanos, Lages e São José do Norte,
– Anita e seu filho expostos à própria sorte,
Brava guerreira, cabelos soltos ao vento,
Com a Liberdade fez um juramento,
Jamais quebraria nem com a morte.

Das Missões, foram pro Uruguai,
– Anita deixou de ser guerrilheira,
Para ser mãe e companheira,
– Garibaldi noutra revolução,
– Anita teve participação,
Depois de pelejar contra os Correntinos,
Liberados pra seguir seus destinos,
Foram à Itália pelejar pela libertação.

Primeiro Anita e seus filhos,
Ovacionada pelos Italianos,
Desprezada por tiranos.
– Garibaldi chegou em meio a eloqüência,
Na sua Pátria lutou pela independência,
– Anita lutando ficou doente e se agravava,
Com o quinto filho que esperava,
Já lutava pela sua sobrevivência.

O sonho de Garibaldi virou pesadelo,
Pensou em render-se ao inimigo,
Ficou refugiado num povo amigo,
Porém mudaram os termos do acordo,
Garibaldi percebeu que era um engodo,
– “Pacto com o inimigo jamais”.
Partiu com Anita, alguns Generais,
E poucos soldados antes de ser atacado.

A saúde de Anita piorava,
Lutas, fugas por terra e riachos.
Garibaldi carregou-a nos braços,
Anita tenta conter os gemidos, sorri,
Sem cor, em pé não parava, não podia fugi,
Pediu: água! Mas na garganta não passava,
Na cama – Garibaldi a mão de Anita segurava,
A Heroína dos dois mundos tinha que parti!

Sobre Jeff

Idealizador e fundador do Portal Guapos. Pai, fotógrafo, desenvolvedor web, responsável pelo desenvolvimento do Portal Guapos, amante da tradição gaúcha e um apaixonado por internet e tecnologia.

CONFIRA TAMBÉM

Adair de Freitas – IMAGENS

Quando refugo meu catre, cedito, que ainda não é dia nem noite, da porta do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *